Servidores virtuais vs. servidores físicos: qual é o melhor?

Servidores virtuais vs. servidores físicos: qual é o melhor?

Servidores virtuais ou servidores físicos… nos dias atuais as muitas empresas e organizações precisam de soluções de processamento e armazenamento seguras, confiáveis ​​e de alto desempenho para seus aplicativos e transmissão de dados.

Uma pesquisa recente das prioridades dos gerentes de TI ou também conhecido como Chief Information Officer (CIO), indicou que os seguintes tópicos são as áreas principais de foco para muitos gerenciadores de TI:

  • Recuperação e Continuidade de Negócios
  • Serviços na nuvem
  • Gestão de Custos

O Chief Information Officer ou CIO é um título dado ao gerente de TI, superintendente de TI, diretor de TI ou vice presidente de TI dependendo da estrutura organizacional da empresa, é o intendente informática/TI sendo responsável pela informática de uma empresa.

No mundo dos negócios de hoje, o gerenciamento de TI tem a tarefa de encontrar soluções econômicas de processamento e armazenamento de dados que equilibrem a necessidade de sua organização na mitigação de riscos, tratamento variado de tipos de dados e, em muitos casos, conformidade regulamentar com as realidades de vida em um mundo pandêmico.

Não é fácil encontrar esse equilíbrio, ele requer um novo olhar ou uma segunda reflexão para resolver a questão de qual serviços usar, servidores virtuais ou servidores físicos.

A escolha deve ser estudada pelas organizações tanto de pequeno, médio quando de grande porte, especialmente devido aos complexos requisitos de negócios e aos prós e contras de cada opção.

Nesta postagem do Internetix, você vai entender quais os benefícios e riscos dos servidores físicos e ambientes virtuais e 11 fatores para ajudá-lo a escolher o que é melhor para o seu negócio.


O que é um servidor físico?

Um servidor físico refere-se a um servidor de hardware com a placa-mãe, CPU, memória e controladores IO. É considerado um servidor bare-metal porque seu hardware é usado diretamente por um sistema operacional em vez de uma plataforma de virtualização. (Um servidor bare-metal é um servidor de computador que hospeda apenas um locatário ou consumidor.)

Um servidor físico é usado para executar uma única instância de um sistema operacional. Ele roda Windows, Linux ou outro sistema operacional e, muitas vezes, é usado para rodar um único aplicativo.


O que é um servidor virtual?

Um servidor virtual ou máquina virtual – termos usados ​​de forma intercambiável aqui – é uma representação baseada em software de um servidor físico. A função que abstrai recursos de CPU, memória, armazenamento e rede do hardware subjacente e os atribui a VMs é chamada de hipervisor.

O hipervisor é executado diretamente no hardware do servidor no lugar de um sistema operacional. As VMs têm um nível adicional de isolamento e podem executar um sistema operacional independente na parte superior do hipervisor.

Uma máquina física pode ser dividida em várias VMs, onde cada uma tem sua própria finalidade, tornando-a diferente do exemplo bare-metal acima, onde o servidor físico executa apenas um serviço.


Servidores virtuais vs. Servidores físicos

Como a pandemia criada de coronavírus (COVID-19), o resultado foi o fechamento de muitos prédios e salas de escritórios, com isso, a atenção especial se concentrou na utilização data center e servidores virtuais em vez de hospedar um hardware físico dentro do próprio escritório.

Por causa do acesso limitado e temendo a exposição ao vírus do corona, acessar recursos do servidor remotamente pela rede pode sem dúvidas reduzir os riscos de contagio.

De fato, o uso de um data center diminui ainda mais qualquer risco pandêmico, pois essas instalações atingem o nível de uma infraestrutura crítica e o acesso é protegido mesmo durante crise de saúde ou pandemias como a que estamos presenciando.

As decisões sobre mudança de servidores físicos em vez de virtuais agora estão sendo avaliadas baseada na realidade de um novo mundo de força de trabalho remota que trabalha em casa ou em coworks.

O que é Coworks? (Coworking é um arranjo em que trabalhadores de diferentes empresas partilham um espaço de escritório, permitindo poupanças de custos e comodidade através da utilização de infraestruturas comuns, como equipamentos, utilidades e serviços de recepcionista e custódia, e em alguns casos serviços de bebidas e recepção de encomendas.)

As decisões anteriores de mover servidores para a nuvem, seja em ambientes de Colocation ou servidores virtuais, agora estão se tornando uma decisão inteligente – pelo menos para a maioria das empresas.

A realidade é uma só, e mesmo no mundo atual, ainda há casos de uso para servidores físicos. Mas essa é uma decisão que deve ser avaliada pesando os prós e os contras.

Os prós e contras dos Servidores físicos

Os servidores físicos geralmente são de propriedade, gerenciados e mantidos pela própria equipe de uma empresa ou organização comercial.

Profissionais de servidores físicos:

  • Sua equipe de TI tem acesso total aos recursos de servidor dedicado 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, o que pode ser vantajoso para operações de alta demanda ou essenciais aos negócios.
  • Dependendo das suas necessidades, o servidor pode estar localizado no local ou em uma instalação de Colocation convenientemente localizada.
  • Sua equipe de TI pode personalizar e configurar totalmente o servidor de acordo com suas especificações e requisitos de negócios.

Contras de servidores físicos:

  • Custo relativamente alto de compra e manutenção do servidor e, no caso de falha de hardware, substituição.
  • Sua equipe de TI será responsável pela instalação, configuração e manutenção em uma base contínua.
  • Você pode precisar contratar um especialista ou o fornecedor para obter ajuda se tiver dificuldade com a configuração ou reparos.
  • Os usuários não podem dimensionar o armazenamento em pequenos incrementos depois que você atinge a carga de trabalho máximo, já que você adquire e possui o hardware.
  • Requer espaço físico ou de Colocation.

Os prós e contras dos Servidores virtuais

A virtualização normalmente ocorre na nuvem ou em servidores próprios, mantidos e localizados externamente. Contratar um fornecedor de hospedagem que ofereça serviços de nuvem seguros é a maneira mais comum de as organizações mudarem para a virtualização.

Prós dos servidores virtuais:

  • Menos custos iniciais, já que você não precisa comprar hardware.
  • Potencial para custos de vida útil mais baixos em configuração e manutenção.
  • Acesso a assistência especializada para instalação, configuração, manutenção e licenças de software.
  • Necessidade reduzida de contratação de talentos internos de TI.
  • Potencial para consolidar servidores e aumentar a eficiência da carga de trabalho.
  • Pegada ambiental reduzida, devido a cargas de trabalho compartilhadas.

Contras de servidores virtuais:

  • Potencial para custos mensais recorrentes mais altos, em oposição a um investimento inicial mais alto.
  • Possíveis problemas de compatibilidade de aplicativos, que são melhor discutidos com um fornecedor experiente.
  • Nem todos os fornecedores podem aumentar ou diminuir seu contrato em pequenos incrementos, o que depende muito das políticas do fornecedor e dos acordos de nível de serviço (SLAs).
  • Você não está mais no controle independente de seu servidor físico e dos aplicativos executados nele.

VMs ou servidores virtuais são mais adequados para empresas?

À medida que o mundo avança rapidamente em direção à nuvem, elevando todos os aplicativos e dados para a nuvem, grandes empresas estão liderando o caminho.

As grandes e médias empresas estão virtualizando duas vezes mais que as pequenas empresas. A adoção da virtualização vai além dos servidores: nos próximos dois anos, espera-se um crescimento de dois dígitos no uso de desktops, aplicativos, rede, armazenamento e virtualização de dados.

De acordo com a Spiceworks, mais da metade de todas as empresas espera usar a virtualização de armazenamento e virtualização de seus aplicativos. Desde a pandemia mundial, esse número provavelmente disparou.

Servidores físicos vs. máquinas virtuais

Na tabela abaixo você poderá comparar a diferença entre os servidores físicos e as máquinas virtuais, ambas fornecem aos usuários vários benefícios e cada empresa deve analisar em qual tipo de serviço se encaixa.

Ao escolher entre os dois tipos de servidores, é importante considerar suas características distintas para descobrir como podem ser aplicadas à infraestrutura da sua organização.

As principais diferenças entre servidores físicos e VMs estão descritas a seguir:

Servidores Físicos Servidores virtuais
Grandes custos iniciais Custos iniciais pequenos
Não há necessidade de compra de licença Licenças de software VM
Servidores físicos e equipamentos adicionais ocupam muito espaço Um único servidor físico pode hospedar várias VMs, economizando espaço
Tem um ciclo de vida curto Suporta aplicativos legados
Sem escalabilidade sob demanda Escalabilidade sob demanda
As atualizações de hardware são difíceis de implementar e podem levar a um tempo de inatividade considerável As atualizações de hardware são mais fáceis de implementar; a carga de trabalho pode ser migrada para um local de backup para o período de reparo para minimizar o tempo de inatividade
Difícil de mover ou copiar Fácil de mover ou copiar
Má otimização da capacidade A otimização de capacidade avançada é habilitada por balanceamento de carga
Não requer nenhuma camada superior Algum nível de sobrecarga é necessário para a execução de VMs
Perfeito para organizações que executam serviços e operações que requerem hardware de computação altamente produtivo para sua implementação Perfeito para organizações que executam várias operações ou atendem a vários usuários, que planejam estender seu ambiente de produção no futuro

As máquinas físicas e virtuais são diferentes umas das outras e, essencialmente, oferecem benefícios diferentes para os variados tipos de empresas e organizações.

Você deve definir claramente o número de operações que sua empresa executa, o nível de desempenho que seus clientes esperam da organização e suas metas e objetivos de negócios. Além disso, deve-se considerar fatores como:

  • O orçamento alocado
  • A tolerância ao tempo de inatividade,
  • A quantidade de carga de trabalho,
  • A sensibilidade dos dados e
  • A necessidade de gerenciamento de desempenho.

Todos esses fatores determinam o que sua infraestrutura de TI precisa incluir para alcançar alta produtividade e crescimento.

Abaixo listamos alguns dos fatores que devem ser considerados antes de tomar a decisão final entre escolher um servidor virtual ou servidor físico:

1. Orçamento

O principal benefício da virtualização é a economia de custos. Os estudos de caso indicam que as empresas podem atingir dezenas ou até centenas de milhares de reais anualmente ao se tornarem virtuais.

Embora você pague os custos de virtualização mensalmente, você pode economizar em:

  • Hardware
  • Desdobramento e desenvolvimento
  • Serviços de utilidade pública
  • Instalações e Infraestrutura
  • Trabalhado e talentos humano

A virtualização também oferece às empresas a capacidade de aumentar ou diminuir em incrementos relativamente pequenos. Com a virtualização, você fica livre do custo de precisar comissionar (ativar) ou descomissionar servidores (desativar).

Em termos de uso de um servidor de Colocation, o consumo de energia continua pode ser mais eficiente com servidores mais novos. A vantagem é que isso permite que os clientes economizem dinheiro, pois a energia normalmente é o que custa mais em um ambiente do tipo colonial.

2. Desempenho

Independentemente da opção que você escolher (servidor virtual ou servidor físico), é fundamental compreender totalmente os requisitos de seu negócio.

O fornecedor de virtualização certo pode ajudar a orientá-lo no processo de compreensão de quais dados, aplicativos e processos são mais críticos para as operações e a integridade de sua empresa.

Certos aplicativos podem exigir mais recursos de servidor dedicado, devido a uma menor tolerância a riscos no desempenho. Em outros casos, quando se trata de ativos que raramente são usados, você pode estar bem em sacrificar o desempenho e a velocidade para economizar custos

Independentemente de qual caminho você deseja seguir, entender sua necessidade de desempenho é crucial para ter a melhor experiência com equipamentos dedicados ou um fornecedor de virtualização.

As conexões diretas com os serviços em nuvem tornaram a utilização de um serviço em nuvem, como AWS e Azure, mais fácil. Obter circuitos GigE e 10 GigE usando conexão em nuvem privadas ou serviços semelhantes os tornam mais funcionais do que ter que depender de conexões pela Internet pública.

3. Continuidade de negócios

Como os servidores de virtualização estão localizados fora do local, você tem uma vantagem imediata em termos de recuperação de desastres.

Em muitos casos, fornecedores com planejamento de mitigação de risco apropriado podem melhorar significativamente seu planejamento de continuidade de negócios.

Considere a capacidade de sua empresa de tolerar perda de ativos ou períodos de indisponibilidade de dados ao tomar uma decisão.

4. Mitigação de risco

Em última análise, a mitigação de riscos depende da configuração de seus servidores dedicados ou virtuais.

Se a carga de trabalho de toda a sua empresa estiver equilibrada em um único equipamento localizado internamente ou em um ambiente virtual do fornecedor, a falha pode ser devastadora.

Em muitos casos, as empresas podem reduzir significativamente o risco mudando para fornecedores de virtualização que oferecem proteções adequadas contra falhas de hardware e backups internos e externos.

5. Segurança da Informação

A segurança de seus servidores físicos ou servidores virtuais depende muito da configuração, do conhecimento da equipe e do ambiente.

Assim como a mitigação de risco, esses fatores podem variar significativamente, dependendo dos requisitos exclusivos de uma empresa e dos recursos internos.

Para muitas empresas e organizações com orçamento ou hardware mínimo, mudar para a virtualização pode oferecer ganhos significativos em proteção de segurança.

6. Espaço e Controle Ambiental

Os ativos de dados de muitas organizações são cada vez mais rápidos, o que pode representar desafios relacionados ao espaço para as equipes de TI.

Se você está ficando sem espaço para armazenar e manter o controle de temperatura de seus servidores, provavelmente é hora de considerar a colocação de servidores físicos ou a virtualização.

À medida que seus ativos de dados aumentam, manter a temperatura e a umidade adequadas pode se tornar mais desafiador.

7. Conhecimento da equipe

Sua equipe tem conhecimento e largura de banda para gerenciar apropriadamente a aquisição, manutenção, configuração e segurança do servidor?

Talvez mais importante, eles estão cientes das melhores práticas para aumentar a eficiência e obter economia de custos?

Mudar para a virtualização pode liberar sua equipe de TI de lidar com armazenamento de dados e gerenciamento de servidor, permitindo que eles se concentrem em outras prioridades e oportunidades de economia de custos.

8. Crescimento projetado na carga de trabalho

Quando você é virtual, adicionar mais armazenamento ou capacidade de processamento pode ser tão simples quanto conversar com seu fornecedor.

Na maioria dos casos, é significativamente mais fácil aumentar ou diminuir seus servidores com a virtualização, já que você não é responsável pela aquisição, instalação, configuração e teste de servidores físicos.

Se os ativos de dados da sua empresa ou as necessidades de aplicativos estão crescendo rapidamente, você pode economizar tempo e recursos significativamente mudando para a virtualização imediatamente.

9. Planos de Migração

Muitas empresas e organizações optam por migrar lentamente suas cargas de trabalho para a virtualização ao longo do tempo. Se essa é sua intenção, comunique-se com seu fornecedor sobre quais as ferramentas de migração existentes e converse sobre a compatibilidade de aplicativos.

Não deixe que o medo de uma migração complexa impeça sua decisão de se tornar basicamente virtual.

A maioria das empresas acha que a migração para a virtualização, mesmo quando realizada lentamente ao longo do tempo, é muito mais fácil do que eles pensam.

10. Tipo de dados

Certos tipos de cargas de trabalho não são essenciais e podem não precisar ser implantados virtualmente.

Você pode ter certos ativos de dados que não contêm pagamento, saúde ou outros tipos de informações que estão sujeitos a requisitos regulamentares. Nesses casos, usar um servidor físico básico que você já possui pode ser a escolha certa.

Em um estudo de caso em uma grande faculdade, a equipe de TI decidiu usar servidores físicos para armazenar filmagens de câmeras enquanto transferia a maior parte de sua carga de trabalho geral para a virtualização.

Essa decisão foi tomada porque, embora as filmagens de câmeras sejam importantes, não são de missão crítica.

A equipe sentiu que poderia absorver a responsabilidade e o risco de armazenar esses dados no local, usando um servidor básico que já era de sua propriedade.

11. Necessidades de conformidade

É importante avaliar cuidadosamente sua capacidade de manter a conformidade interna se você for obrigado a aderir a regras de órgãos externos ou outros requisitos regulamentares.

Tanto os servidores físicos quanto os virtualizados devem atender a todos os padrões estabelecidos por lei. Normalmente, a conformidade é verificada e medida por auditores independentes.

Você também vai gostar:

Se você estiver considerando a virtualização, peça uma cópia do relatório mais recente sobre conformidade de um fornecedor potencial.

Servidor virtual ou Servidor físico: Qual o melhor para você?

Dependendo do seu caso de uso, a resposta certa pode ser usar servidores virtuais ou servidores físicos em um datacenter de Colocation.

A hospedagem de servidor virtual amadureceu e estamos vendo no mercado atual abordagens mais híbridas em que os servidores voltados para a web podem ser virtuais e back-end, os servidores de processamento de dados residem em um data center Colo, resultando em um ambiente híbrido.

Escolher uma empresa que ofereça os serviços de data center e colocation para empresas de todos os tamanhos pode ser o caminho certo para fornecer a solução adequada para suas necessidades.